Udaipur

Mais uma pérola do Rajastão. Depois de Jaipur, viajámos para sul ao encontro de Udaipur. 440 km e uma noite dormida no comboio levaram-nos à Cidade dos Lagos, à Veneza do Oriente, à sumptuosa capital do Reino Mewar.

Fundada em 1558 por Udai Singh II, Udaipur foi capital do reino até 1818, ano em que este se tornou um principado Britânico. O adjetivo que melhor define a cidade é romântica. Aqui junta-se um sofisticado sistema de lagos artificiais a lindos palácios de mármore branco. Adicionam-se templos ancestrais, ghats cheios de vida, danças tradicionais, jardins glamorosos e está pronto a servir. A receita resulta em qualquer coisa irreplicável.

O que visitámos:

  • Jagdish Temple: Em pleno centro nervoso de Udaipur, a espreitar acima das muralhas do City Palace está este templo Hindu, o maior e mais importante da cidade. Vale a pena visitar e estar atento aos pormenores esculpidos nas paredes exteriores ou assistir aos devotos que acendem incensos e entoam os mantras;
  • City Palace: Na margem do lago Pichola, ao cimo de um monte, está este luxuoso palácio erguido ao longo de 22 gerações da família real. Para além de um parque de estacionamento para elefantes e uma boutique store gerida pela princesa Bhargavi Kumari, tem uma vista panorâmica sobre a cidade e é um excelente exemplar de fusão das arquitecturas Rajasthani e Mughal;
  • Gangaur Ghat: Lugar perfeito para assistir como lago e cidade se espelham mutuamente, como o prolongamento sinérgico um do outro. Aproveitem para se sentar neste ghat e observar as mulheres a lavarem a roupa ou as crianças a tomarem banho;
  • Bagore Ki Haveli: Este haveli fica junto ao Gangaur Ghat. Foi uma relevante casa de governação e residência real com 138 quartos. É hoje um importante museu e centro de artes. À noite, é imperdível assistir ao show de música e dança tradicional do Rajastão que aqui acontece e tem o nome de: “Concert de’Indian Cultural Heritage”;
  • Pichola Lake: A criação deste lago artificial remonta ao ano de 1362. O primeiro e mais central dos 11 lagos que formam o sistema aquático característico da cidade. No centro do lago avista-se o Lake Palace, um palácio de verão que foi tornado recentemente num hotel de luxo e ainda o Jag Mandir, também um palácio usado ainda hoje pela família real;
  • Saheliyon-ki-Bari: Significa Jardim das Donzelas e é um must-see. Localizado perto do lago Fateh Sagar, foi desenhado no início do século XVIII pelo próprio rei e proposto à rainha com o objetivo de alojar e contentar 48 damas da corte real;
  • Fateh Sagar Lake: É bom caminhar na margem do Fateh Sagar, aproveitar a imensa área verde desimpedida e experimentar um dos restaurantes de rua que ali servem locais e turistas.

Onde dormimos:

Ficámos hospedados no Le Pension Kesar Vilas. Hotel um pouco deslocado do centro da cidade mas com os requisitos básicos.

Onde comemos bem:

  • White Terrace: Restaurante muito simpático perto do Jagdish Temple. Comida Italiana deliciosa se quiseres desenjoar da Indiana (o que para nós foi muito raro! :));
  • Udai Art Café:  Café “ocidental” bom para beber um expresso e comer um snack.

Ficávamos mais uma noite. Tanta história e romantismo mereciam mais passeio. Udaipur é menos populosa comparativamente a Deli, Agra ou Jaipur, o que permitiu absorvê-la com uma outra calma, e também por isso se torna este um lugar precioso, numa Índia tantas vezes caótica. Próxima paragem: Jodhpur. 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s